terça-feira, 30 de novembro de 2010

Prémio Ribacôa 2010-2011 - distingue projecto de permacultura para S. Pedro de Rio Seco

Fvp dinamiza um dos concelhos mais pobres do País
O Prémio Ribacôa 2010/2011 distinguiu o projecto “Um Novo Rumo para S. Pedro do Rio Seco”, de Caetana Serôdio, licenciada em História da Arte, José Lambuça, licenciado em Biologia ambiental Terrestre e Tiago Silva, licenciado em Biologia e com mestrado em Ecologia e gestão ambiental, baseado nos princípios da permacultura e que pretende colocar S. Pedro do Rio Seco como referência regional de produtos alimentares (hortícolas e frutícolas) de qualidade, produzidos e distribuídos localmente, numa óptica de sustentabilidade e respeito pela natureza.

Caetana Serôdio
A atribuição do prémio, no valor monetário de 11 mil Euros, destinado à concretização e atribuído ao longo do seu desenvolvimento e implementação, foi deliberada no dia 22 de Novembro, numa cerimónia em que estiveram presentes Luis Queirós, presidente do júri do Prémio e da Fundação Vox Populi (Fvp), José Alberto Morgado, em representação da Câmara de Almeida, Manuel Alcino Fernandes, em representação da Associação Rio Vivo, Maria José Diniz da Fonseca, em representação da ASTA e Telmo Cunha, em representação da Associação dos Amigos de Almeida.

José Lambuça
O projecto alia práticas agrícolas tradicionais com ideias inovadoras, proporcionando o desenvolvimento integrado da propriedade rural de forma viável e segura para o agricultor, e prevê a plantação de uma horta orgânica, um pomar/bosque alimentar, um viveiro de plantas autóctones e uma estufa. Com os produtos produzidos pretende-se a médio/longo prazo suplantar as necessidades básicas alimentares de hortícolas e frutícolas da população da aldeia e, eventualmente, de comunidades vizinhas.

Tiago Silva
O trabalho tem o seu início já em Dezembro, com o reconhecimento da aldeia e zona envolvente, seguindo-se a análise da meteorologia agrícola regional e inventário vegetal das espécies adaptadas ao clima, a construção da estufa, o tratamento e preparação do solo, as plantações das diversas espécies adequadas a cada mês e respectiva manutenção, e, finalmente, a colheita de Verão e a plantação de inverno.

Luís Queirós, Presidente da Fundação Vox Populi e membro do júri, enfatiza que é “urgente trazer os jovens para os concelhos mais pobres, despovoados e envelhecidos. Este Prémio foi pensado para os estimular e impulsionar a criarem projectos que os façam conhecer, respeitar e valorizar o desenvolvimento sustentável dessas localidades.”

Além do primeiro prémio, a Fvp dispõe-se ainda apoiar mais dois projectos que estiveram a concurso, com a quantia de cinco mil euros a cada, se a Associação dos Amigos de Almeida e a Câmara de Almeida apoiarem com semelhante verba. São eles a “Flora Autóctone Portuguesa - Produção em viveiro para utilização florestal e ornamental" e a “Estrutura Ecológica Municipal do Concelho de Almeida - Soluções inovadoras no domínio do planeamento e design de paisagens rurais e urbanas do município”.

Criado em 2009, o Prémio Prémio Ribacôa, sob o tema “A Caminho da Transição”, premeia candidaturas dedicados a incentivar a implementação de projectos de desenvolvimento sustentável no concelho de Almeida, um dos concelhos mais pobres do país.

3 comentários:

  1. Parabéns por este prémio.
    Mª da Graça

    ResponderEliminar
  2. Cuidar das pessoas, cuidar da terra, partilhar excedentes, Permacultura em S. Pedro de Rio Seco...a acontecer. Boa! Força gente linda, Caetana, Tiago, foi tão bom conhecer-vos. à Caetana na horta da formiga, ao Tiago na manhã da espiral aromática de Telheiras.

    ResponderEliminar
  3. Muitos Parabéns ao projecto, e à Caetana!

    ResponderEliminar